"O melhor da gastronomia embalado para viagem."

... Cozinhar é também fazer poesia. É abrir ouvidos, olhos, boca e nariz para perceber o que faz sentido entre temperos e medidas. É entrar neste estado de coisas latentes e cavar o silêncio....
Juliana Venturelli

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Moinho de pedra


Filme sobre moinho de pedra!







Curso de desidratados


















Agenda de Cursos do Primeiro Semestre







*Preços promocionais para ex-alunos

Plantas Alimentícias Não Convencionais - Com Jorge Ferreira





CURSO DE COLETA IDENTIFICAÇÃO E PREPARO GASTRONÔMICO DE PLANTAS ALIMENTÍCIAS NÃO CONVENCIONAIS

(som hospedagem)
Data10 e 11 de março de 2018
Carga horária: 12 horas
Numero de vagas: 15
Local: Sítio Abaetetuba - Toca da Onça, Lumiar / Nova Friburgo/ RJ
Investimento: 450,00 com preço promocional para os 4 primeiros inscritos de 370,0
Informações: Marta (21) 9.9688-8909

Sobre as Pancs:
Sobre as Pancs:
A sigla PANC significa plantas alimentícias não convencionais. Em outras palavras, quer dizer "todas as plantas que podemos consumir mas não consumimos".
Muitas plantas são esquecidas e não são mais vistas como alimento. Voltar a consumi-las é uma forma diversificar a alimentação e evitar que desapareçam do nosso cotidiano, ajudando a valorizar as culturas alimentares nas quais estas plantas estão presentes.
O termo PANC depende, contudo, de com que você está dialogando e se essa planta é ou não convencional para ela. Plantas amazonicas serão não convencionais para um morador do Rio. É errado dizer unicamente que uma planta é PANC. PANC pra quem?
As PANCS devem estar relacionadas com aquilo que o ambiente local pode proporcionar. O interessante não é importar alimentos de longe, e sim maximizar aquilo que é oferecido em torno de certo local. Todas as regiões do país possuem um grande potencial para explorar as plantas alimentícias não convencionais, sejam elas nativas ou originarias de outros lugares.
No curso serão abordadas árvores, arbustos, erbáceas espontâneas que já fizeram parte da dieta brasileira e com a massificação da agricultura acabaram caindo no esquecimento.
Este curso tem como objetivo facilitar a compreesão das vastas possibilidades alimentícias e nutricionais deste vegetais tão comum entre nós.
Uma alimentação diversa e variada traz para todos os nutrientes que no sso organismo precisa, e as PANC são um ótimo caminho para uma alimentação adequada, saudável e responsável.
Variar o cardápio significa, antes de tudo, provar coisas novas e se surpreender como os sabores deliciosos que estavam se perdendo. Utilizar plantas não convencionais amplia nosso repertório de degutação e ajuda a criar receitas novas.
Fonte:Guia Prático de Pancs, Instituto Kairós - 2017

Objetivos

Capacitar os participantes para os princípios básicos: identificação, coleta e preparo culinários de PANC’s da Mata Atlântica através de conceitos teóricos e práticos de Botânica, Ecologia, Manejo de Recursos Vegetais e Alta Gastronomia.

Público alvo

Estudantes e profissionais das áreas agrária, biológica e gastronômica, produtores rurais e todas as pessoas que tenham algum tipo de interesse no tema.

Programação

Esse curso abordará inicialmente aspectos teóricos relacionados à Botânica e Ecologia das PANC’s e terá um forte componente prático, envolvendo saídas a campo para identificação e coleta de plantas. Também incluirá preparo culinário de pratos deliciosos e, claro, degustação dos mesmos!
10/03/2018 (sábado):
  • Apresentação da dinâmica do curso;
  • Aula de identificação de plantas espontâneas;
  • Saída a campo: interpretação da floresta, um olhar para a sutileza e os detalhes da natureza;
  • Detalhamento da biodiversidade da Mata Atlântica: plantas alimentícias e medicinais;
  • Primeiros passos para coletar e preparar uma planta ou ingrediente espontâneo.
11/03/2018 (domingo):
  • O que justifica uma busca pelas plantas espontâneas?
  • Como adaptar o cardápio à estação?
  • Culinária-caminhada: prática de coleta com objetivo de preparo – um olhar para o que queremos montar como cardápio; 
  • Estudo do potencial gastronômico;
  • Elaboração conjunta de uma degustação.
 O curso inclui almoço e lanche da tarde.

Hospedagem

Temos opção de hospedagem com alimentação (café da manha, almoço, lanche e jantar. Rodizio de pizza no forno a lenha com as PANCS no sábado!):
Para saber mais sobre nós:
Sobre o Sitio Abaetetuba
Abaetetuba é uma palavra de origem Tupi-Guarani que significa “lugar cheio de gente boa”. O Sítio Abaetetuba localiza-se em Lumiar (5º distrito de Nova Friburgo – RJ). A região, cabeceiras dos rios Bonito e Macaé, abrange um amplo remanescente de Mata Atlântica com áreas em diversos estágios de sucessão, oferecendo uma grande oportunidade para estudos do ecossistema florestal e caminhadas deslumbrantes.
O Sitio Abaetetuba, desde 2002 vem implantando na região de Nova Friburgo técnicas alternativas de produção e de construções rurais, tornando-se um modelo na área, e por isso visitado por agrônomos, biólogos, agricultores, estudantes (mestrandos e doutorandos), turistas e líderes comunitários interessados nas atividades desenvolvidas.
O principal foco do Sítio Abaetetuba é a produção de alimentos de qualidade, substituindo as técnicas modernas de plantio, altamente dependentes de energia externa e insumos tradicionais, por alternativas agroecológicas de baixo impacto, garantindo a sustentabilidade. Todos os processos agrícolas sustentáveis e seus benefícios são divulgados para outros produtores e visitantes para fomentar a produção consciente respeitando a realidade cultural, social e ambiental da região.
O trabalho realizado no sitio engloba além da agricultura ecológica (agroecologia), economia, ética, sistemas de captação e tratamento de água, bioarquitetura, biorremediação, reflorestamento, agroindústria e produção associada ao turismo. 


Ministrante – Jorge Ferreira
Botanico autodidata,que se dedica ao estudo de plantas alimentícias não convencionais (PANCS) e plantas medicinais originárias da Mata Atlântica. Especializado em agroecologia e ecogastronomia, movimento que define o uso de plantas de surgimento espontâneo. Em seus trabalhos, valoriza os saberes locais e estimula a conciencia ambiental.
Jorge Ferreira é filho de agricultores e foi criado no sítio São José, Paraty – RJ, onde sempre trabalhou com a terra junto a sua família, priorizando a sustentabilidade e a relação harmoniosa com a natureza. Jorge é um autodidata e estuda há mais de 15 anos botânica prática, taxonomia, plantas alimentícias não convencionais (PANC’s) com enfoque gastronômico, frutíferas e plantas medicinais nativas da Mata Atlântica. Presta consultoria gastronomicas com o uso de PANCS. Também trabalha com agroflorestas e possui forte experiência em planejamento, implantação e manejo agroflorestal.
Assista ao vídeo:

Organização: 


Marta de Abranches
Licenciada e Bacharel em Biologia (2002), é microempreendedora individual comodatária do Sítio Abaetetuba, e sócia fundadora da Agroindústria Mistura Fina (2009), em Lumiar/ Nova Friburgo
Tem certificação em Boas Práticas de Fabricação de Alimentos, Análise e Pontos Críticos de Controle e Fabricação de Doces e Geleias. Pós-graduada em Segurança Alimentar pelo SENAC, e professora/ tutora da UERJ/ CEDERJ - Centro de Educação a Distancia do Rio de Janeiro, desde 2005.
Na agroindústria, trabalha na gestão e treinamento de funcionários, no controle do estoque da qualidade dos produtos, na criação, desenvolvimento e manufatura de novos produtos. Organiza, coordena e ministra cursos em cursos em produção de conservas e geleias e frutas desidratadas, aproveitamento integral de alimentos e sistemas produtivos sustentáveis. Experiência em desenvolvimento e gestão de projetos.
Participa, com os produtos da agroindústria, em vários eventos como Feiras da Agricultura Familiar, Salão do Turismo do Rio de Janeiro e de São Paulo, Feiras de Empreendedores e Feiras Gastronômicas.
Organiza e ministra cursos na área de gastronomia e sustentabilidade.
Foi contemplada pelo Fundo de Amparo a Pesquisa do Estado do Rio com o projeto “Produção familiar associada ao turismo - do campo à mesa”.
Recebeu o premio Maravilhas Gastronômicas, do Jornal O Globo na categoria “Conservas e Antepastos” do Estado do Rio em 2014 e “Melhor farofa de mandioca” na categoria “Da terra”, no mesmo ano.
Investimento: R$
O valor pode ser pago no PagSeguro, em até 18 vezes no cartão:
Selecione a opção frete grátis.
Ou depósito em conta bancária:
Bradesco
Marta de Abranches
Ag- 3078-3
cc-21487-6
CPF- 092.477.637-46
Enviar o comprovante para:


Caruru ensopado

Salada de PANCS

Maionese de coco com azedinha

sexta-feira, 24 de março de 2017

Curso de desidratados - Um pouquinho do nosso curso






Maçã com canela



Estufa mista - tá bonita!



maçã verde, manga, kiwi, mamão, jaca...

Saladinha de frutas 
Embalando à vácuo





Produtos embalados à vácuo

Colhendo berinjela para a produção de conservas



Berinjela caponata com azeitona verde e castanha do pará

Berinjela chutney com açúcar mascavo e pimentão vermelho

Berinjela siciliana com azeitona preta e pimenta calabresa


Berinjelas gigantes para fazer conserva: 
Siciliana, caponata e chutney de berinjela da Mistura






Plantinhas sobreviveram a chuva de granizo








Sempre furo os dedos..rs. Desta vez usei luvas!




quinta-feira, 31 de março de 2016

Suco de couve com limão

Estes suco é muito apreciado por aqui.
Gosto dele bem docinho e com bastante gelo.
Os grupos que nos vizitam sempre gostam...
Se quizer pode acrescentar uma boa vodka.
Ingredientes:
3 limões
5 folhas de couve
Açucar à gosto
Gelo

Modo de fazer:

Lavar as folhas de couve e deixar de molho em uma solução clorada.
ba



Fotos do Sítio






Laguinho de pedras em forma de coração





Entardecer no Sítio Abaetetuba
Lago de tilápias

Casa do professor